Projeto RIG – RIG em Consultoria

Criada no dia 15 de julho de 1979, a Umbelino Lôbo Assessoria e Consultoria acredita que, em um regime democrático representativo e participativo, a disposição para o diálogo é uma postura estratégica. Nesse sentido, nossos serviços apresentam uma visão global da dinâmica e dos processos decisórios do setor público de modo a preparar nossos clientes para uma participação de qualidade, baseada no diálogo, na ética e na transparência.

Assim, desde o início, a Umbelino Lôbo está estabelecida na estrutura de consultoria, ou seja, oferece o ofício de assessoria a partir de profissionais qualificados e especializados.

Pensando nesta característica, elegemos o tema “RIG em consultoria” como pauta de discussão para o segundo capítulo de nosso Projeto RIG. E, como ponto de partida, procuramos entender qual o diferencial, para nossa equipe, da atuação de um profissional de RIG em uma consultoria especializada.

Barbara Tayanne Oliveira, assessora de Backoffice, aponta a forma de trabalhar como um dos pontos mais distintivos. “Sendo bem objetiva e pragmática, acredito que a diferença da atuação de um profissional de RIG em consultorias é trazer de maneira assertiva e em tempo hábil, um mapeamento, produtos e soluções para a defesa de interesses do cliente”, conta. “Ter a percepção de todas as temáticas dos clientes, enxergar como as decisões políticas impactam diretamente a todos é um desafio diário.”

O resultado entregue ao cliente, para a analista Stelle de Rocio, também é um reflexo dessa questão, pois, considerando o viés personalizado do serviço prestado por uma consultoria, é necessário que os profissionais consigam compreender quais as reais necessidades no momento de auxiliar na resolução de problemas. “A equipe tende a ser composta por profissionais especializados em questões políticas e regulatórias, com experiência em diversos setores, o que pode proporcionar uma visão abrangente e conhecimentos específicos para cada caso”, aponta.

A analista Juliana Oliveira define que a atividade de um profissional de RIG em consultoria é uma combinação estratégica de agilidade e inteligência. “O profissional dispõe de ferramentas mais amplas e precisas para desempenhar o seu trabalho, desde o contato com equipes e especialistas em diversos segmentos de mercado até as três esferas do Poder Público, de forma simultânea”, indica. “Somados, estes fatores consagram o papel da consultoria especializada no monitoramento e engajamento junto aos entes governamentais e aos demais tomadores de decisões.”

Nesse sentido, Danilo Neiva, analista, destaca que o trabalho em consultoria possui um maior dinamismo, podendo alcançar outras dimensões do mesmo setor. “Além do maior contato com o processo de defesa de demandas setoriais, o profissional de relações governamentais adquire expertise em assuntos diversos, além de construir estratégias de múltiplo engajamento político e institucional.”

O contato com outras linhas de atuação também é defendido por Ana Júlia Gomes, responsável pelo acompanhamento de estados e municípios, como um ponto para entender a atividade. “É estar inserido no melhor espaço para aprender a parte do BackOffice em RIG”, aponta. “Normalmente as consultorias atuam com a parte de monitoramento e criação de documentos para guiar a ação do front office. Dessa forma, conseguimos ter acesso a todas as etapas do RelGov”.

Rotina

Devido à esta dinâmica, a equipe destaca a importância da organização de uma rotina bem estruturada para o bom funcionamento da produção em consultoria. Para a assessora Vanessa Moura, por exemplo, uma divisão entre tarefas pode auxiliar o profissional inserido neste contexto. “É importante priorizar as demandas de rotina e deixar um tempo para demandas espontâneas, que podem surgir com um prazo mais apertado.”

Para ela, outro ponto essencial é dispor de tempo para consumo de notícias, para facilitar o desenvolvimento dessas demandas extraordinárias. “No trabalho de relações governamentais, é preciso estar sempre atento ao que é prioridade na agenda do governo, permitindo a implementação de ações estratégicas de acordo com os riscos e as oportunidades.”

Mantendo uma constante atualização de acontecimentos, o processo de adaptação acontece de maneira mais fácil. Nesse sentido, Bárbara, inclusive, destaca: “A política é imprevisível, então mantemos uma rotina de entregas de certos produtos, mas o monitoramento e acompanhamento depende do contexto do executivo e do legislativo e das expectativas e prioridades dos nossos clientes. Cada semana é uma semana, nunca é igual.” 

Prioridades

O monitoramento citado pela assessora, também é considerado por Juliana como um dos serviços de maior importância produzidos por uma consultoria. Isto porque, de acordo com a analista, apesar de serem produtos rotineiros, funcionam como base para a elaboração de diagnósticos e estratégias de engajamento pelos profissionais de RIG. “Um monitoramento de qualidade é essencial para que os demais produtos e serviços desenvolvidos tenham cada vez mais valor agregado.”

À vista disso, a área estratégica também é elencada pela equipe como outro destaque na rotina de uma consultoria.

Para Stelle, a realização de estratégias com o olhar de quem está de fora da empresa do cliente é algo muito valioso “pois permite a análise fria do projeto a ser desempenhado. Atualizações diárias e de bastidores também ajudam muito.” Nessa mesma linha, Ana Júlia indica: “como temos mais noção de cenário público, os clientes nos buscam para auxiliar a estruturar estratégias realmente efetivas para a defesa de interesses perante o governo”.

Uma das maneiras de orientar os clientes sobre suas possíveis atuações começa na elaboração da pauta semanal, que Vanessa elenca como um dos produtos mais importantes. “Ela permite que os clientes estejam cientes dos eventos que estão previstos e, a partir disso, priorizar os acontecimentos, alinhar as estratégias de acordo com a agenda política, antecipar temas e questões relevantes, controlando riscos e oportunidades na medida do possível.”

Além disso, o contato direto com os contratantes também é pontuado como serviço de destaque, mencionado como até ferramenta de trabalho. A assessora Isabelle Melo explica: “diretamente com os clientes é possível compreender quais são as prioridades e posicionamentos em relação ao tema de interesse, consequentemente, isso contribui para o trabalho do profissional na elaboração das estratégias, monitoramento das matérias e dos stakeholders”.

A colaboradora conclui que é algo “fundamental para o crescimento, amadurecimento e desenvolvimento de habilidades do profissional de RIG, principalmente daqueles que estão no início da carreira”.

Elaborado por Beatriz Castilho, assessora da Umbelino Lôbo, em 06/09/2023.

Share:

Related publications

Skip to content